30 de novembro de 2010

Emprego dos porquês

O uso dos porquês é um assunto muito discutido e traz muitas dúvidas. Com a análise a seguir, pretendemos esclarecer o emprego dos porquês para que não haja mais imprecisão a respeito desse assunto. 

Por que 
Esse tipo de porquê, por que, tem dois empregos diferenciados: 

Quando for a junção da preposição por + pronome interrogativo ou indefinido que, possuirá o significado de “por qual razão” ou “por qual motivo”: 

Exemplos: Por que você não vai ao cinema? (por qual razão)
Não sei por que não quero ir. (por qual motivo)

Quando for a junção da preposição por + pronome relativo que, possuirá o significado de “pelo qual” e poderá ter as flexões: pela qual, pelos quais, pelas quais. 

Exemplo: Sei bem por que motivo permaneci neste lugar. (pelo qual)

Por quê 
Quando vier antes de um ponto, seja final, interrogativo, exclamação, o por quê deverá vir acentuado e continuará com o significado de “por qual motivo”, “por qual razão”. 

Exemplos: Vocês não comeram tudo? Por quêAndar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro. 

Porque 
É conjunção causal ou explicativa, com valor aproximado de “pois”, “uma vez que”, “para que”. 

Exemplos: Não fui ao cinema porque  tenho que estudar para a prova. (pois)
Não vá fazer intrigas porque prejudicará você mesmo. (uma vez que)

Porquê 
É substantivo e tem significado de “o motivo”, “a razão”. Vem acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral. 
Exemplos: O porquê de não estar conversando é porque quero estar concentrada. (motivo)
Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão)


Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola


Acesse também:
http://www.colegioweb.com.br/portugues-infantil/emprego-dos-porques.html
http://www.soportugues.com.br/secoes/fono/fono26.php

Acentuação das palavras na língua portuguesa - regras para justificar o uso

A tabela abaixo foi feita pela doutora em Letras pela USP, ensaísta e editora, Márcia Lígia Guidin. 


Tipo de palavra ou sílabaQuando acentuarExemplos (como eram)Observações
(como ficaram)
Proparoxítonassempresimpática, lúcido, sólido, cômodoContinua tudo igual ao que era antes da nova ortografia.
Observe:

Pode-se usar acento agudo ou circunflexo de acordo com a pronúncia da região: acadêmico, fenômeno (Brasil) académico, fenómeno (Portugal).
ParoxítonasSe terminadas em: R, X, N, L, I, IS, UM, UNS, US, PS, Ã, ÃS, ÃO, ÃOS; ditongo oral, seguido ou não de S
fácil, táxi, tênis, hífen, próton, álbum(ns), vírus, caráter, látex, bíceps, ímã, órfãs, bênção, órfãos, cárie, árduos, pólen, éden.
Continua tudo igual.
Observe:
1) Terminadas emENS não levam acento: hifens, polens.
2) Usa-se indiferentemente agudo ou circunflexo se houver variação de pronúncia: sêmen, fêmur (Brasil) ou sêmen, fémur (Portugal).
3) Não ponha acento nos prefixo paroxítonos que terminam em R nem nos que terminam emI: inter-helênico, super-homem, anti-herói, semi-internato.
OxítonasSe terminadas
em: A, AS, E, ES, O, OS, EM, ENS
vatapá,
igarapé, avô, avós, refém, parabéns
Continua tudo igual.
Observe:
1. terminadas em I,ISUUS não levam acento: tatu, Morumbi, abacaxi.
2. Usa-se indiferentemente agudo ou circunflexo se houver variação de pronúncia: bebê, purê(Brasil); bebé, puré(Portugal).
Monossílabos tônicos (são oxítonas também)terminados em A, AS, E,
ES, O,OS
vá, pás, pé, mês, pó, pôsContinua tudo igual.
Atente para os acentos nos verbos com formas oxítonas: adorá-lo, debatê-lo, etc.
Í e Ú em
palavras oxítonas e paroxítonas
Í e Ú levam acento se estiveremsozinhos na sílaba (hiato)saída, saúde, miúdo, aí, Araújo, Esaú, Luís, Itaú, baús, Piauí1. Se o i e u forem seguidos de s, a regra se mantém: balaústre, egoísmo, baús, jacuís.
2. Não se acentuam iu se depois vier 'nh': rainha, tainha, moinho.
3. Esta regra é nova: nasparoxítonas, o i e unão serão mais acentuados se vierem depois de um ditongo: baiuca, bocaiuva, feiura, maoista, saiinha (saia pequena), cheiinho (cheio).
4. Mas, se, nasoxítonas, mesmo com ditongo, o i e uestiverem no final, haverá acento: tuiuiú, Piauí, teiú
.
Ditongos abertos em palavras paroxítonasEI, OI,idéia, colméia, bóiaEsta regra desapareceu (para palavras paroxítonas).Escreve-se agora: ideia, colmeia, celuloide, boia.
Observe: há casos em que a palavra se enquadrará em outra regra de acentuação. Por exemplo: contêiner, Méier, destróier serão acentuados porque terminam em R.
Ditongos abertos em palavras oxítonasÉIS, ÉU(S), ÓI(S)papéis, herói, heróis, troféu, céu, mói (moer)Continua tudo igual(mas, cuidado: somente para palavras oxítonas com uma ou mais sílabas).
Verbos arguir e redarguir (agora sem trema)arguir e redarguir usavam acento agudo em algumas pessoas do indicativo, do subjuntivo e do imperativo afirmativo.Esta regra desapareceu.
Os verbos arguir e redarguir perderam o acento agudo em várias formas (rizotônicas):
eu arguo (fale: ar-gú-o, mas não acentue); ele argui (fale: ar-gúi), mas não acentue.
Verbos terminados em guar, quar e quiraguar
enxaguar, averiguar, apaziguar, delinquir, obliquar usavam acento agudo em algumas pessoas do indicativo, do subjuntivo e do imperativo afirmativo.
Esta regra sofreu alteração. Observe:.
Quando o verbo admitir duas pronúncias diferentes, usando a ou i tônicos, aí acentuamos estas vogais: eu águo, eles águam e enxáguam a roupa (a tônico); eu delínquo, eles delínquem (í tônico).
tu apazíguas as brigas; apazíguem os grevistas.
Se a tônica, na pronúncia, cair sobre o u, ele não será acentuado: Eu averiguo (diga averi-gú-o, mas não acentue) o caso; eu aguo a planta (diga a-gú-o, mas não acentue).
ôo, eevôo, zôo, enjôo, vêemEsta regra desapareceu.
Agora se escreve: zoo, perdoo veem, magoo, voo.
Verbos ter e virna terceira pessoa do plural do presente do indicativoeles têm,
eles vêm
Continua tudo igual. 
Ele vem aqui; eles vêm aqui.
Eles têm sede; ela tem sede.
Derivados de ter e vir (obter, manter, intervir)na terceira pessoa do singular leva acento agudo;
na terceira pessoa do plural do presente levam circunflexo
ele obtém, detém, mantém;
eles obtêm, detêm, mantêm
Continua tudo igual.
Acento diferencial
Esta regra desapareceu, exceto para os verbos:
PODER (diferença entre passado e presente.
Ele não pôde ir ontem, mas pode ir hoje.
PÔR (diferença com a preposição por):
Vamos por um caminho novo, então vamos pôr casacos;
TER e VIR e seus compostos (ver acima).
Observe:
1) Perdem o acento as palavras compostas com o verbo PARAR:
Para-raios, para-choque.
2) FÔRMA (de bolo): O acento será opcional; se possível, deve-se evitá-lo: Eis aqui a forma para pudim, cuja forma de pagamento é parcelada.
Trema (O trema não é acento gráfico.)
Desapareceu o trema sobre o U em todas as palavras do português: Linguiça, averiguei, delinquente, tranquilo, linguístico.
Exceto as de língua estrangeira: Günter, Gisele Bündchen, müleriano

RELEMBRANDO
Oxítonas: sílaba tônica é a última sílaba da palavra.
Paroxítona: sílaba tônica é a penúltima sílaba da palavra.
Proparoxítona: sílaba tônica é a antepenúltima sílaba da palavra.


Acessado em 01/12/2010, em: http://educacao.uol.com.br/portugues/reforma-ortografica/2009/01/30/ult1693u7.jhtm
Acesse também:
http://educacao.uol.com.br/portugues/reforma-ortografica/
http://www.infoescola.com/acordo-ortografico/nova-acentuacao-grafica/
http://www.soportugues.com.br/secoes/fono/fono9.php

15 de novembro de 2010

Lutero e o pinheiro de natal


       Conta a história que Catarina, a esposa  de Martim Lutero, o reformador da Igreja, estava doente.Uma noite Lutero saiu para um passeio na floresta  de pinheiros.Neste passeio admirou-se com as  estrelas que  brilhavam através dos galhos cheios de neve.
       Ele quis mostrar toda aquela beleza à sua esposa e filhos.  Então cortou um pinheiro,  enfeitou-o com velas e algodão e o levou até Catarina e seus filhos. Com isso,  Lutero quis mostrar-lhes  o céu iluminado, de onde veio Jesus,  o Salvador do mundo.
       Desde lá o pinheiro é cada vez mais colorido, enfeitado e usado pelas famílias. E sempre que olhamos para ele lembramos que Jesus é a luz do mundo e a verdadeira árvore da vida.

Adaptado pela PPHMista Mônica Ellwanger
Extraído Agenda das Crianças 2009  - IECLB

Tabela de artigos no nominativo e acusativo


 NOMINATIVO

Gênero
artigo definido
artigo indefinido
Masculino:  
der
ein
Feminino:
die
eine
Neutro:
das
ein
Plural (todos):
die
não existe, apenas para a negação: keine (nenhum)


ACUSATIVO

Gênero
artigo definido
artigo indefinido
Masculino:  
den
einen
Feminino:
die
eine
Neutro:
das
ein
Plural (todos):
die
não existe, apenas para a negação: keine (nenhum)

Revisão - Artigos definidos e indefinidos nos casos do nominativo e acusativo + pronomes possessivos no singular

Artigos definidos

O ; A = DER; DIE; DAS.


OS ; AS = DIE
(ARTIGO NO PLURAL PARA SUBSTANTIVOS / NOMES MASCULINOS, FEMININOS OU NEUTROS)

Nominativo – sujeito da oração

ORAÇÃO COM ARTIGO DEFINIDO
Der Hund hat Hunger.
Die Katze trinkt Milch.
Das Pferd hat viel Fell.

ORAÇÃO COM ARTIGO INDEFINIDO

Ein Hund hat Hunger.
Eine Katze trinkt Milch.
Ein Pferd hat viel Fell.

Acusativo – objeto direto da oração

ORAÇÃO COM ARTIGO DEFINIDO

Anna hat den Hund gern.
Frank hat die Katze gern.
Mona hat das Pferd gern.


ORAÇÃO COM ARTIGO INDEFINIDO 
Anna hat einen Hund gern.
Frank hat eine Katze gern.
Mona hat ein Pferd gern.

Verbos que aceitam um complemento no acusativo:

finden, haben, hören, rufen, schreiben, suchen, lernen, lesen, singen, mögen, machen...

Pronomes possessivos

eu – ICH     mein...
tu – DU     dein...
ele – ER     sein...
ela – SIE     ihr...
ele/ela – ES   sein...

OS PRONOMES POSSESSIVOS PODEM ESTAR NO CASO DO NOMINATIVO OU NO CASO DO ACUSATIVO. 
Mein Hund hat Hunger. (digo que é o meu cachorro - fica implícito, ou seja, se digo meu significa que ele pertence a mim = eu))


ANTES DE COLOCARMOS A DECLINAÇÃO COMPLETA NOS TRÊS PONTINHOS, TEMOS QUE VER QUAL É O GÊNERO DO NOME/SUBSTANTIVO (DER;DIE OU DAS) QUE FORMOS USAR. 
Acima usei Hund que é der. (Ein Hund hat Hunger.)


EM SEGUIDA, VERIFICAR COMO FICA A DECLINAÇÃO NO FINAL DOS ARTIGOS INDEFINIDOS DE ACORDO COM O CASO.


NOMINATIVO- sujeito:
Ein Hund hat Hunger.
Mein Hund hat Hunger.


ACUSATIVO : objeto direto
Frank hat eine Katze gern.
Frank = er, então sein...
Frank hat seine Katze gern.