24 de agosto de 2012

Mostra de cinema Babelsberg - 100 Anos de Cinema Alemão



Começa amanhã a mostra de cinema Babelsberg - 100 Anos de Cinema Alemão, realizada pelo Fantaspoa Produções e Goethe-Institut com co-realização da Mozi Produções e da Associação de Críticos de Cinema do RS. A programação inclui 18 filmes realizados pelo estúdio alemão, desde o clássico “O Gabinete do Doutor Caligari” (1920) e “Fausto” (1926) até os mais recentes, como “Wolke 9” (2008) e “Whisky MIT Vodka” (2008). 

A mostra ocorre entre os dias 25 de agosto e 2 de setembro nas salas CineBancários, Cine Santander e Sala Eduardo Hirtz. Amanhã, após a sessão de “Os Assassinos Estão Entre Nós” (1946), no Cine Santader, às 19h, ocorre o debate com Michael Korfmann sobre o filme e a fase DEFA do estúdio, que vai do início da década de 1950 até o final da década de 1990. 

Mais informações em: www.mostrababelsberg.com.br

22 de agosto de 2012

As vantagens de ser bilíngue

Profissionais que sabem dois ou mais idiomas têm inúmeros benefícios, que vão além de conseguir um emprego
Texto: Pablo Furlanetto 
Para se destacar no mercado de trabalho, é preciso cumprir algumas regras básicas. Uma delas, falar no mínimo outro idioma, é pré-requisito. Porém, novas pesquisas mostram que saber outra língua, além de ajudar no crescimento profissional, pode contribuir para outros fatores que influenciarão na postura e sucesso do profissional.

Estudos indicam que bilíngues têm várias vantagens em relação aos monoglotas: aprendem com mais facilidade, estão mais protegidos contra a senilidade (envelhecimento), podem raciocinar de forma diferente em cada idioma, entre outros benefícios. Entretanto, quem sabe apenas o seu idioma materno não precisa se desesperar. De acordo com a professora da Graduação em Letras e do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Unisinos, Ana Maria Stahl Zilles, o monolíngue pode fazer uso de variedades de sua única língua e, assim, ter vantagens semelhantes às do bilíngue. “Ao dizer isso, estou querendo trazer à tona um conceito chave, que é o de repertório linguístico”, explica.

Segundo a docente, pessoas que dominam bem uma língua e aquelas que sabem várias estão em vantagem, porque têm repertórios mais amplos e complexos. “As maiores diferenças que percebo em alunos com repertórios linguísticos mais ricos é uma grande facilidade em tratarem as questões de língua abstratamente, usando uma capacidade que se chama metalinguística, fundamental para aprender a ler e escrever, e para interpretar textos, por exemplo.”
Os benefícios para quem sabe um ou mais idiomas não param por aí. Para Zilles, essas pessoas têm mais facilidade de fazer operações mentais, como a abstração, a comparação, a classificação, a interpretação, a análise de soluções, a resolução de problemas, a crítica e a avaliação. Além de ter atitudes mais flexíveis diante de situações diferentes do costume do país de origem, em virtude de participarem de mundos culturais distintos. E isso ajuda na hora de trabalhar e se adaptar, por exemplo, ao estilo das multinacionais.

Porém, é preciso ter cuidado na hora de aprender outra língua. A professora Ana Maria explica que para o aprimoramento cognitivo vale o princípio de que quanto mais, melhor. “Nosso potencial mental é enorme e pode ser ocupado com múltiplas tarefas, aprendizagens e relações.” Mas a docente alerta que viver num fluxo constante de apreensão de novos conhecimentos pode ter um impacto negativo, por não deixar espaço para pensar, processar criticamente as informações, hierarquizá-las e aprofundá-las.

Nem tudo é inglês

Na hora de aprender outro idioma, as pessoas geralmente procuram apenas o inglês, por entenderem que ele é o mais importante. Enganam-se. Hoje, outras línguas são indispensáveis na hora de disputar uma vaga. Para Zilles, três aspectos devem ser levados em conta quando o assunto é qual o idioma mais importante: em primeiro lugar, que línguas a pessoa fala e sua importância para o trabalho específico a ser executado; em segundo, qual a posição delas em questão no mercado linguístico; e, por último, qual o grau de proficiência em cada uma das línguas e em que domínios ou áreas do conhecimento a pessoa pode ser bem sucedida.

A professora destaca o inglês, espanhol e mandarim, em virtude do mercado, como os três mais procurados. Mas, na região sul, outras línguas se destacam na hora da obtenção de um emprego, como alemão, italiano e japonês. “E, considerando razões sócio-históricas, há outras que deveriam fazer parte da nossa lista de possibilidades, como o francês, por sua tradição cultural e sua importância em nossa própria história; as línguas indígenas brasileiras, especialmente para áreas de trabalho como antropologia, saúde e educação; e a língua brasileira de sinais, cujo ensino é obrigatório nos cursos de licenciaturas”, finaliza. 

21 de agosto de 2012

Igelspaß gut erklären

Quem consegue interpretar as imagens abaixo em alemão?! 




 Envie seu texto para haidischeibe@gmail.com que eu postarei logo abaixo.

Aus: http://www.igel-schutz.de/spass.htm

15 de agosto de 2012

Curso de Extensão: Deutsche Filme - UFRGS

Buscando atender às necessidades e aos interesses da comunidade acadêmica dos cursos de Letras, pretende-se oferecer uma série de filmes do cinema alemão, desde a década de 20 do século XX aos dias atuais.
O curso compõe-se de de doze encontros de três horas, sendo apresentados os seguintes filmes:
1 - 27.8.2012 Metropolis (1927, Fritz Lang, 118 Min.)
2 - 3.9. M ? Eine Stadt sucht einen Mörder (1931, Fritz Lang 107/ 117 Min.)
3 - 10.9. Die Legende von Paul und Paula (1973, Heiner Carow, 105 Min.)
4 - 17.9. Momo (1986, Johannes Schaaf, 104 Min.)
5 - 24.9. Der Himmel über Berlin (1987, Wim Wenders, 127 Min.)
6 - 1.10. Pappa ante Portas (1991, Loriot, 84 Min.)
7 - 15.10. Sonnenallee (1999, Leander Haußmann, 92 Min.)
8 - 22.10. Das Leben der Anderen (2006, Florian Henckel von Donnersmarck, 137 Min.)
9 - 29.10. Emmas Glück (2006, Sven Taddicken, 99 Min.)
10 - 5.11. Wolke Neun (2008, Andreas Dresen, 98 Min.)
11 - 12.11. Soul Kitchen (2009, Fatih Akin, 100 Min.)
12 - 19.11. Rotkohl oder Blaukraut (2011, Anna Hepp, 60 Min.)

Mais algumas informações complementares sobre o curso de extensão:
- ele é aberto à toda comunidade acadêmica, ou seja, é preciso que sejam estudantes da UFRGS;
- temos em torno de 25 vagas, preenchidas por ordem de inscrição;
- a discussão do filme (depois da projeção) será em Português e/ou em Alemão;
- a inscrição pode ser feita pelo e-mail informado no cartaz;
- o pagamento será no dia do primeiro filme;
- temos no máximo 3 horas para a atividade.
Viel Spaß  para quem puder participar!

5 de agosto de 2012

Freundschafstag: um hit clássico - Ein Freund, ein guter Freund...

No mês de julho comemora-se o dia do amigo aqui no Brasil, mas na Alemanha o mesmo é comemorado em agosto.  O dia internacional da amizade  ocorre sempre no primeiro domingo de agosto, ou seja:  hoje!

Originaltitel: Die Drei von der Tankstelle
Produktionsland: Deutschland
Erscheinungsjahr: 1930 

 ***
Sonnige Welt! Wonnige Welt!
Hast uns für immer zusammengestellt!
Liebe vergeht, Liebe verweht,
Freundschaft alleine besteht!

Ja man vergisst wen man geküsst,
weil auch die Treue längst unmodern ist.
Ja, man verließ manche Madam',
wir aber bleiben zusamm'.

Ein Freund, ein guter Freund,
das ist das Schönste was es gibt auf der Welt.
Ein Freund bleibt immer Freund,
und wenn die ganze Welt zusammenfällt.
Drum sei auch nicht betrübt,
wenn dein Schatz dich nicht mehr liebt.
Ein Freund, ein guter Ferund,
das ist der größte Schatz, den's gibt.




2 de agosto de 2012

O sistema de ensino na Alemanha

O sistema educacional alemão difere muito do brasileiro. Como os governos estaduais têm autonomia sobre seu sistema de ensino, as características podem variar de estado para estado.  
Normalmente, as crianças começam a frequentar o jardim-de-infância (Kindergarten) a partir dos 3 anos de idade. A obrigatoriedade escolar existe a partir dos 6 anos até a 9ª ou 10ª série, dependendo do estado, e no máximo até os 18 anos. 
Os jardins de infância são mantidos por igrejas, iniciativas particulares ou pela municipalidade. A mensalidade é calculada conforme os rendimentos da família, independente de o estabelecimento ser público ou privado. Durante seu último ano no jardim de infância, a criança "pré-escolar" (Vorschulkind) toma contato com letras e números, o que no entanto não pode ser considerado alfabetização como o pré-primário que conhecemos do Brasil. 
O ensino público na Alemanha é gratuito a partir da primeira série; paga-se apenas parte dos livros. Um semestre antes de entrar para a escola, a criança é submetida a um teste médico. Se forem verificados problemas no desenvolvimento psicológico, motor ou linguístico, ela é encaminhada para possíveis correções. O primeiro dia na escola obedece a todo um ritual, do qual participa a família inteira.

Menina com sua Schultüte após o primeiro dia de escola
A forte presença da Igreja na sociedade alemã é sentida nestes momentos. Em muitas escolas, antes da distribuição em classes e o primeiro contato com o professor, realiza-se um culto ecumênico na paróquia mais próxima. Outra peculiaridade é a Schultüte (cone colorido, oferecido às crianças no primeiro dia de aula), cheia de presentes e doces.
O curso primário tem a duração de quatro anos; apenas alguns estados estenderam essa etapa para seis anos. 

Escolas secundárias
Ao encerrar o primário, a criança começa a ter definida a sua orientação profissional. Conforme o desempenho dela nos primeiros quatro anos de escola, a professora sugere aos pais o tipo mais apropriado de escola secundária. Há três opções: 
Hauptschule, em que os alunos recebem uma formação geral básica. Após a conclusão, encaminham-se geralmente para uma formação profissionalizante que os habilita a exercer um ofício ou uma atividade na indústria ou na agricultura. Dura de cinco a seis anos.
Realschule, que habilita a frequentar cursos mais adiantados em escolas profissionalizantes, escolas secundárias vocacionais ou o segundo ciclo do ginásio. Dura seis anos.
Gymnasium, que dura oito ou nove anos, conforme o estado federado, e propicia uma formação básica mais aprofundada. O certificado de conclusão, o cobiçado Abitur (de importância semelhante à do vestibular brasileiro), habilita para o acesso a uma universidade ou escola superior.
Até um certo ponto, o sistema é permeável. Conforme o desempenho do aluno nos dois primeiros anos na escola secundária (5ª e 6ª séries), existe a possibilidade de se transferir para uma escola de tipo diferente da escolhida originalmente.
Existe ainda a Gesamtschule, que integra os três tipos numa só, bem como escolas com outros tipos de currículo, dependendo do estado.

Escola em tempo integral


A adoção deste tipo de estabelecimento vem sendo cada vez mais defendida na Alemanha. Em outros países europeus, é comum a criança ou o adolescente passar o dia inteiro na escola, sendo assistido nas tarefas de casa e podendo participar de atividades extraclasse, como esporte e artes.
Na Alemanha, as aulas são dadas no período da manhã, terminando o mais tardar em torno das 14 horas. Alguns jardins de infância prestam assistência depois desse período (almoço e acompanhamento dos deveres de casa) também a crianças em idade escolar, no chamado Hort

Escolas especiais
Crianças e adolescentes portadores de necessidades especiais frequentam escolas especiais, das quais existem diferentes tipos de acordo com a deficiência. Para esses alunos vale igualmente a obrigatoriedade escolar.

Escolas profissionalizantes
Estas escolas (Berufsschulen) fazem parte do sistema dual de formação profissionalizante, que habilita o jovem ao exercício de uma profissão ou oficio oficialmente reconhecido. A formação teórica se dá na escola (um a dois dias por semana), enquanto o aprendizado prático é feito numa empresa nos outros dias, diretamente num posto de trabalho ou oficina.
Encaminham-se a uma formação profissionalizante, que dura de dois a três anos e meio e é remunerada, sobretudo jovens vindos da Hauptschule ou da Realschule. De uns tempos para cá, também muitos aprovados no Abitur decidem-se por uma qualificação deste tipo. 

Ensino superior
A longa tradição acadêmica na Alemanha foi iniciada com as primeiras fundações, no século 14. Através da reforma no ensino superior feita por Wilhelm von Humboldt (1767–1835), foi estabelecida a união da pesquisa e do ensino nas universidades alemãs.
Após uma reforma na década de 1970, o estudante passou a ter maior liberdade na escolha das disciplinas. Há vários tipos de instituições de ensino superior, mas a maioria das universidades alemãs pode ser enquadrada entre as seguintes: 
– Universitäten e Technische Universitäten: São as universidades tradicionais e as técnicas, com cursos voltados para teoria e pesquisa, com a titulação de Magister (para as Ciências Humanas e Sociais), Diplom (para as Ciências Exatas e Naturais) ou Staatsexamen (para as áreas de Direito e Medicina) e possibilidade de doutorado. Oferecem, também, cursos para a formação de professores do ensino primário e médio. A graduação na Alemanha é mais abrangente e longa do que no Brasil. Desde o início do século 21, a Alemanha participa do chamado Processo de Bolonha, que tem por meta a equiparação dos currículos e dos títulos de Bachelor Master, bem como do doutorado nas universiddes e escolas superiores dos países envolvidos.
– Fachhochschulen: São as escolas superiores de tecnologia ou universidades de ciências aplicadas, com cursos mais curtos e voltados para a prática, com a obrigatoriedade de um estágio durante o curso e sem possibilidade de doutorado.

Volkshochschulen
Há ainda os centros para a educação de adultos (Volkshochschulen), dedicados exclusivamente ao aperfeiçoamento, não só profissional. Sua oferta é muito ampla e direcionada sobretudo para o aperfeiçoamento geral, seja em culinária ou em idiomas, mas também, em escala cada vez maior, para a melhoria das qualificações profissionais.

O texto foi levemente alterado do original e revisado por Haidi Scheibe em agosto de 2012.

Um esquema detalhado que aborda o sistema de ensino na Alemanha você pode ver no site: http://tu-dresden.de/die_tu_dresden/fakultaeten/fakultaet_informatik/smt/dil/ib/laendervergleich/deutschl/schulsystem/view

Para saber um pouco mais como funcionam as universidades na Alemanha, leia também o texto Cooperação entre Brasil e Alemanha oferece oportunidades para ensino superior   da Uol Educação.

Globo Universidade mostra histórias de brasileiros que estudam na Alemanha - Programa foi gravado em Berlim, maior polo universitário do país
http://redeglobo.globo.com/globouniversidade/videos/t/edicoes/v/especial-alemanha-integra/2070361/ 


Outros:
http://www.conteudoescola.com.br/colunistas-conteudo-escola/54/170-o-sistema-educacional-na-alemanha

http://www.jornalolince.com.br/2008/out/educacao/sistemaeducacional.php

http://deutsch-ist-geil.blogspot.com.br/2009/02/schulsystem.html